Ocorreu um erro neste gadget

sábado, 1 de dezembro de 2012

Para abrir oficialmente o nosso blog, convido todos a ler um belo poema que fala de ciclos da vida. http://pensador.uol.com.br/poesias_de_carlos_drummond_de_andrade

 Para Sempre 

Por que Deus permite
que as mães vão-se embora?
Mãe não tem limite,
é tempo sem hora,
luz que não apaga
quando sopra o vento
e chuva desaba,
veludo escondido
na pele enrugada,
água pura, ar puro,
puro pensamento.

Morrer acontece
com o que é breve e passa
sem deixar vestígio.
Mãe, na sua graça,
é eternidade.
Por que Deus se lembra
- mistério profundo -
de tirá-la um dia?
Fosse eu Rei do Mundo,
baixava uma lei:
Mãe não morre nunca,
mãe ficará sempre
junto de seu filho
e ele, velho embora,
será pequenino
feito grão de milho.
Carlos Drummond de Andrade

Um comentário:

  1. Espero que todos possam visitar o nosso blog e que de alguma forma, ele contribua para a construção de uma literatura mais fundamentada.

    ResponderExcluir