Ocorreu um erro neste gadget

quarta-feira, 20 de março de 2013



Dia 20 de março dia do contador de história





"Ler uma história com o objetivo de contá-la é um exercício de costurar sonhos, de misturar emoções, é uma brincadeira de dar significado às palavras, um quebra-cabeça de desvendar nas ilustrações aquilo que as palavras não conseguiram traduzir, e mais ainda, transformar em gestos e expressões aquilo que extrapola e transcende o mero articular de palavras"
(Rodrigues: 2003)


http://trupefriburgo.blogspot.com.br/2008/12/ler-uma-histria-com-o-objetivo-de-cont.html

quinta-feira, 14 de março de 2013

14 DE MARÇO DIA DA POESIA


Ler também é arte e arte pode ser representada numa poesia.  A todo os que amam ler e amam poesias feliz dia da poesia e aproveite para despertar o poeta que existe em você.

SAIA POR AI SUSSURANDO UMA POESIA NO OUVIDO DE ALGÚEM!

 

Homenagem a  Paulo Leminski

"qualquer coincidência é mera semelhança. enquanto o quixote pensa sancho coça a sancha pança. todas as coisas sejam iguais, que o vermelho seja verde, o azul seja amarelo, e sempre seja nunca mais." (Paulo Leminski)
Leminski nasceu em Curitiba, em 1944. Foi poeta, romancista, tradutor, compositor, biógrafo e ensaísta - além de faixa preta de judô. É autor de Distraídos Venceremos, Catatau, Bashô, entre outros. Suas composições foram gravadas por diversos artistas, entre eles Caetano Veloso, Ney Matogrosso e Itamar Assumpção. O genial artista morreu em 1989.
Ao conciliar a rigidez da construção formal e o mais genuíno coloquialismo, Leminski praticou ao longo de sua vida um jogo de gato e rato com leitores e críticos. Se por um lado tinha pleno conhecimento do que se produzira de melhor na poesia - do Ocidente e do Oriente -, por outro parecia deleitar-se em mostrar um “à vontade” que não raro beirava o improviso, dando um nó na cabeça dos mais conservadores. Pura artimanha de um poeta consciente e dotado das melhores ferramentas para escrever versos.
Entre sua estreia na poesia, em 1976, e sua morte, em 1989, a poucos meses de completar 45 anos, Leminski iria ocupar uma zona fronteiriça única na poesia contemporânea brasileira, pela qual transitariam, de forma legítima ou como contrabando, o erudito e o pop, o ultraconcentrado e a matéria mais prosaica. Não à toa, um dos títulos mais felizes de sua bibliografia é Caprichos & Relaxos: Uma Fórmula e um Programa Poético Encapsulados Com Maestria.
 http://pensador.uol.com.br/autor/paulo_leminski/ acesso em 14/03/2013

domingo, 10 de março de 2013

O ler é um momento de prazer

Aprendemos na aula de  literatura infantil, que ler se traduz num momento de prazer, precisamos cada dia lutar para que nunca se acabe este prazer pela leitura. Principalmente quando ainda pequeno, isto pode acontecer com a literatura infantil, que estimula na criança o seu mais profundo imaginário.Sabemos que é  na infância que este prazer pode começar a existir, e jamais abandonar o sujeito mesmo ao tornar-se adulto.

 


É preciso mediar o prazer pela literatura,  os fazendo entender, das leituras mais simples as mais complexas. A criança tem esta capacidade sim, mas não apenas um professor e um livro devem ser disponibilizado para isto, principalmente nas escolas muitas vezes o falta é:

*  Um currículo que na sua composição de saberes, valorize um momento para que este estimulo aconteça diariamente.Tornando a criança de um simples aluno que lê, a grandes leitores dos mais variados gostos literários.

                          


*Tempo e local, ou seja espaço adequado: Sala  de leitura, biblioteca, até o pátio da escola pode ser um local de socialização de criações literárias  feitas pelos alunos e isto dispõe de tempo direcionado  a leitura.

  


*Recursos: Precisa-se um acervo rico em variedades literárias. equipamento de multimídia para auxiliar o professor,materiais que o ajude a desenvolver por exemplo um semana de roda de leitura que comportem as diversas dinâmicas que ele fará para despertar no aluno, este prazer infindo que o acompanhara hoje e sempre