Ocorreu um erro neste gadget

quinta-feira, 14 de março de 2013

14 DE MARÇO DIA DA POESIA


Ler também é arte e arte pode ser representada numa poesia.  A todo os que amam ler e amam poesias feliz dia da poesia e aproveite para despertar o poeta que existe em você.

SAIA POR AI SUSSURANDO UMA POESIA NO OUVIDO DE ALGÚEM!

 

Homenagem a  Paulo Leminski

"qualquer coincidência é mera semelhança. enquanto o quixote pensa sancho coça a sancha pança. todas as coisas sejam iguais, que o vermelho seja verde, o azul seja amarelo, e sempre seja nunca mais." (Paulo Leminski)
Leminski nasceu em Curitiba, em 1944. Foi poeta, romancista, tradutor, compositor, biógrafo e ensaísta - além de faixa preta de judô. É autor de Distraídos Venceremos, Catatau, Bashô, entre outros. Suas composições foram gravadas por diversos artistas, entre eles Caetano Veloso, Ney Matogrosso e Itamar Assumpção. O genial artista morreu em 1989.
Ao conciliar a rigidez da construção formal e o mais genuíno coloquialismo, Leminski praticou ao longo de sua vida um jogo de gato e rato com leitores e críticos. Se por um lado tinha pleno conhecimento do que se produzira de melhor na poesia - do Ocidente e do Oriente -, por outro parecia deleitar-se em mostrar um “à vontade” que não raro beirava o improviso, dando um nó na cabeça dos mais conservadores. Pura artimanha de um poeta consciente e dotado das melhores ferramentas para escrever versos.
Entre sua estreia na poesia, em 1976, e sua morte, em 1989, a poucos meses de completar 45 anos, Leminski iria ocupar uma zona fronteiriça única na poesia contemporânea brasileira, pela qual transitariam, de forma legítima ou como contrabando, o erudito e o pop, o ultraconcentrado e a matéria mais prosaica. Não à toa, um dos títulos mais felizes de sua bibliografia é Caprichos & Relaxos: Uma Fórmula e um Programa Poético Encapsulados Com Maestria.
 http://pensador.uol.com.br/autor/paulo_leminski/ acesso em 14/03/2013

Nenhum comentário:

Postar um comentário